Notícias e Artigos

Crawler Detect

24
outubro
2018

Saiba quais são os principais e qual é o melhor para o seu negócio

 

Quando você decide abrir uma empresa, já pensou muito sobre essa escolha, porém saber tudo que é preciso para ser esse processo é difícil devido a quantidade de informações que são necessárias. Mas, o que deve ser priorizado e realizado com planejamento é o regime tributário que será adotado, pois irá refletir diretamente na tributação dos impostos e outras obrigações fiscais, seu rendimento e desenvolvimento do seu negócio.

É importante esclarecer, antes de darmos início aos principais regimes tributários existente no Brasil o seu significado.

Podemos definir regime tributário como o conjunto de leis que regulamenta a forma de pagamento de tributos de um CNPJ (empresa). Os regimes podem ser alterados todo começo de ano de acordo com a necessidade de crescimento e enquadramento da sua empresa.

 

REGIMES TRIBUTÁRIOS

Independentemente do tamanho do seu negócio, todos que empreendem no Brasil concordam que a carga tributária aqui é muito alta. Logo, a escolha certa do regime tributário, ou seja, aquele que a atividade, o porte e faturamento da sua empresa se enquadra e você paga uma carga menor de tributos é essencial.

A escolha do regime não é tão simples quanto parece e nem tão complicada como você imagina. Alguns aspectos como previsão de faturamento anual, previsão de despesas operacionais, previsão de margem de lucro e previsão de gastos com empregados são considerados para definir quais e quantos impostos e tributos você deverá pagar ao governo.

Agora que você já compreendeu o que é e qual a sua importância no desenvolvimento da sua organização, confira abaixo quais são os principais regimes tributários vigentes no Brasil.

 

SIMPLES NACIONAL

O Simples nacional é um regime diferenciado e o mais recente de todos. Criado em 2006 pela Lei Complementar 123/06 para incentivar o empreendimento de novos negócios, o Simples unifica o recolhimento de 8 impostos (IRPJ, CSLL, PIS, Cofins, IPI, ICMS, ISS e CPP) de diferentes instâncias – Municipal, Estadual e Federal. Como o objetivo era assistir as empresas de micro e pequeno porte, o faturamento anual delas para poder ter esse enquadramento é de até R$ 4,8 milhões. Outra característica desse regime é a alíquota diferenciada que varia entre 4% e 22,9%, de acordo com os setores e atividade econômica desenvolvida pela empresa.

 

LUCRO PRESUMIDO

O Lucro Presumido é uma opção para as empresas que possuem faturamento anual de até R$ 78 milhões. Nesse regime a tributação é realizada, como o mesmo nome sugere, em cima de um lucro presumido, estipulado e não o lucro real da organização. E essa tributação varia entre 8% a 32% do lucro da empresa de acordo com a atividade desenvolvida por ela. Confira as alíquotas:

  • Empresas que atuam no comércio e indústria: presunção de 8% do faturamento para o IRPJ e 12% para CSLL;
  • Empresas que atuam com serviços: presunção de 32% do faturamento tanto para o IRPJ quanto para CSLL.

O PIS e a Cofins a alíquota é de 0,65% e 3% respectivamente tanto para as que atuam no comércio e na indústria quanto para as que atuam com serviços. Nesse regime não há a possibilidade de qualquer abatimento, dedução ou crédito, as empresas contribuem de maneira cumulativa, ou seja as compras da empresa não geram redução nos impostos.

 

LUCRO REAL

O regime tributário Lucro Real pode ser utilizado pelas empresas com faturamento anual acima de R$ 78 milhões, normalmente as empresas que adotam esse regime são as de grande porte e multinacionais, às vezes alguns negócios são obrigados por lei a aderirem a esse regime como é o caso de bancos – comerciais, de investimento ou desenvolvimento; cooperativas de crédito; empresas de seguros privados entre outros.

Dentre todos os regimes citados esse é o mais complexo, pois a sua base de cálculo é sobre o lucro líquido da empresa. É preciso ser mais minucioso e detalhista nesse regime, o controle financeiro deve ser sempre eficiente, visto que quaisquer erros podem acarretar em multas e juros que lesam a saúde financeira da empresa.

As alíquotas no Lucro Real são para IRPJ e CSLL 15% e 9% respectivamente já o PIS e a Cofins podem ser de 0,65% a 7,60% mais os demais impostos pertinente às empresas.

Nesse regime se a empresa apresenta prejuízo por meio de um rigoroso sistema financeiro e contábil em algum (ns) mês (es) ela consegue uma compensação desse prejuízo.

 

Mesmo com essas características, para definir o melhor regime tributário para a sua empresa é recomendável uma assessoria contábil que conseguirá dizer baseado em cálculos e análises dos resultaados qual é a melhor escolha entre o Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro Real para o seu negócio.

Ficou curioso para saber se o regime adotado pela sua empresa é realmente o melhor para o seu desenvolvimento e crescimento? Venha fazer uma visita à Fortcon, atualmente contamos com uma equipe com mais de 30 profissionais qualificados para dar o melhor atendimento a você e seu negócio, ligue (43) 3323-8001 e agende uma visita.


Não foi possível realizar esta operação. Favor contacte o administrador (suporte@cedilha.com.br).